sábado, 29 de junho de 2013

Perdendo o Cabaço com o Ficante

Ola gente, tdo bem? Estou aqui mais uma vez para contar mais uma de minhas historias.
Bom meu nome é Dayane(nome ficticio) renho 22 anos, casada, 1,68m fofa ou melhor gostosa, peitos e bunda gg, uma bucetinha beissuda e linguaruda rsrs, muito suculenta e gostosa.Gente só pra lembrar todos os nomes q uso em meus contos são falsos para poder manter em segredo a indentidade das pessoas envovidas, mas os contos são reais. E hj vou contar como perdi minha virgindade.
Eu tinha 18 anos e há 2 ficava com o Vitor.
Vitor era 10 anos mais velho q eu. um mulato muito bonito, 1,75m + ou - de altura, corpo normal nem magro nem gordo um tesão... Já hávia rolado muitos momentos quentes com Vitor, mão naquilo aquilo na mão, mas nunca tinhamos chegado aos finalmente. Não sei se contei em algum conto anterior mas até meus 18 anos morava na (roça) rs em um sitio uma bairro bem distante da cidade, meu pai sempre foi muito concervador e não me deixava sair, era da casa p escola, da escola p casa, e de casa p o serviço e do serviço p casa. E pra ajudar meu irmão mais velho não me dava sucego, vivia atrás de mim. E um deslise meu ele contava tdo p meu pai...
   Quando eu queria sair tinha q falar que ia na Igreja e da igreja ia dormir na casa de uma tia, ai com muito custo ele deixava eu sair.
   E um belo dia inventei essa tal desculpa, ia pra igreja e da igreja ia p casa da minha tia, q deixava minhas primas sairem e se divertir. Perto da casa da minha tia tinha um barsinho, onde a noite eu minhas primas iamos p lá ficar conversando com nossa amiga que era filha da dona do Bar, o bar na verdade é como um clube de campo, tinha um rio q passava eerto e muitas arvores e algumas mesinhas espalhadas. E como sempre naquele sabado não deu outra ao escurecer lá fomos nós p o barzinho, chegamos lá e do de cara com Vitor, eu não podia ve-lo que minha ucetinha ja ficava piscando.
Ficamos ali conversando, e ao fechar o bar minhas primas Julia e Tati foram p um lado com seus ficantes e eu e Vitor fomaos para de baixo das árvores. Sentamos em um banquinho e comessamos a nos beijar, como Vitor beijava bem, o clima comessou a esquentar.
Vitor me beijava e acariciava meus seios levemente por cima da blusa, logo suas mão desceram até minha cintura e quando subiu, subiu por dentro da minha blusinha, nessa hra gelei, que delicia, ele segurando meus peitos que até então não eram tão grandes como hj, Vitor então levantou minha blusinha, juntamente com meu sutiã, e abocanhou meu seios nossa q delicia nessa hora minha bucetinha ja estava toda melada, ele chupava tão gostoso que eu me retorcia toda, ele mamava feito um bezerro desmamado. Que delicia mas que loucura, poderia chegar alguem ali, mas meu tesão era tanto que até me esqueci disso.
Vitor então se levantou e me puxando pela mão me levou até uma mesinha, me esncostou na mesinha e comessou a passar a mão por cima do meu shortinho, nossa que delicia, Vitor me beijava descia pelo o pescoço, até chegar em meus seios e mamar gostoso, então ele pegou minha mão e colocou sobre seu mastro que estava completamente duro, mes assutei com o tamanho, pois era muito grande e grosso, achva q não uria aguentar aquela tora dentro da minha bucetinha até então virgem, Vitor então abriu sua bermuda deixando-a cair ao chão ficando só de cueca, eu não sabia o que fazer com aquela pica então comesei a acariciar, ele dizia que tava gostoso mas q podia melhorar, então tirou a coeca, pegou minha mão e comessou a me ensinar como punheta-lo ele gemia baixinho e dizia q tava muito gostoso então Vitor abriu meu shortinho q já foi logo parar lá no pé, fiquei só de calcinha, nisso Vitor passou a mão na minha bucetinha, sertificando-se q eu estva toda melada... E comentou; " -Nossa minha gatinha, vc está toda melda, ta com tesão minha safadinha?
Aquilo tudo estava me deixando completamente louca, Vitor me beijava enquanto brincava com meu grelinho, me fazendo se retorcer e gemer de tesão, comesei a beijar o peitoraç dele, e ele por sua vez, comessou a forçar minha cabeça para baixo, eu não descia, até q ele me pediu para fazer um boquete, eu não sabia o q fazer e fiquei ali parada, ele me pediu novamente e começou a forçar minha cabeça p baixo, entao me abaixei e dei um beijo, e ele me disse chupa vai Day eu disse q não sabia como fazir aquilo ele então falou, chupa como se fosse um pirulito, mas aquele kct era muito grande, então comecei a lamber a cabeça, que inorme, ai ele disse agora chupa vai gatinha, coloca tudo na boca, então abocanhei e ele começou a fuder minha boca, ele metia como se estivece metendo na minha bucetinha, eu engasgava mas ele não parava.
Então Vitor me pediu para deitar na mesinha, que ele queria me deixar louquinha, até seu pedido prontamente, e foi me deitando, que medo dele meter aquela tora na minha bucetinha, eu tremia só de pensar. Me deite e Vitor começou a me chupar, eu gemia baixinho e ele me perguntava se estava gostando, e eu respondia com a voz tremola e rouca q sim, ele chupava minha bucetinha com gosto e me pedia pra gozar na boca dele, eu não sabia exatamente o que estava sentindo era tantos sentimentos misturados, era tesão, medo, tudo ao mesmo tempo.
Foi quando ele parou de me chupar, e começou a passar seu kct em minha bucetinha, ele me perguntava se eu queria, eu não sabia o q dizer, ficava calada, então ele começou a forçar a entrada da minha bucetinha, eu fechei minha perna e ele segurando minhas pernas abriu de novo e me pediu pra relaxar, e forssava sua tora contra minha bucetinha tentando preneta-la, mas seu kct era muito grande, então ele forçou mais um pouquinho e entro a cabeça de seu kct, dei um gritinho, ele me pedia p não gritar, pedi p ele para mas ele me disse q a cabeça tinha entrado e faltava pouco, então forçou mais um pouquinho e entrou mais um pedaço da sua imenssa tora em minha bucetinha, então ele deu mais uma estocada e entrou todo o resto, eu gemia e ele ali parado p não me machucar, então com muito carinho começou a bombar de vagarinho, ele dizia nossa parece um sonho, ta tirando o cabacinho da minha gatinha, que delcia de buceta apertadinha. Que delicia eu gemia e me retorcia de dor e tesão, ele começou a bombar com mais força eu tinha a impreção que minha bucetinha estva sendo arrombada, ele socava cada vez mais me pedindo pra lambuzar o kct dele com minha porra que ele queria sentir meu liquido escorrendo pelo kct dele, eu gemia e ele dizia vai minha gatinha, geme e goza vai, então comecei a gozar, quanto comecei a gozar, senti que seu kct começou a pusar dentro da minha bucetinha, ele segurava as meu quadriu e bombava com mais força, então anunciou que iria gozar, e gemendo feito louco esporrou tdo dentro da minha bucetinha. Nossa quando ele terminou e tirou seu kct de minha bucetinha foi um alivio, senti minha xana toda arrombada. Ele me deu um longo beijo e então saimos dali, ele me levou até o portão da casa da minha tia, nos beijamos mais uma vez, e entrei. Fui dirreto para o banheiro, quando tirei minha calcinha me assustei ele tava toda ensanguentada, realmente lá se foi meu cabacinho, naquela noite não consegui dormir direiro, pois fiquei com medo do meu pai descobrir, dele perceber algo diferente em mim, e pro meu azar a gente não havia usado camisinha, e eu poderia engravidar, mas p a minha sorte isso não aconteceu.
Depois disso ficamos mais uns dois anos, eu era muito apaixonada por Vitor mas ele por ser 10 anos mais velho q eu não queria nada serio, apenas me comer e foi isso q aconteceu durante 2 anos fui a putinha de Vitor até meu cuzinho ele conseguiu comer, mas depois desencanei e não quiz mais ficar com ele.
Bom gente vou ficando por aqui, leiam, votem e podem comentar o quanto quizer...
Beijinhos a todos...

Um comentário: